A passeata pró-Bolsonaro em São Luís, capital do Maranhão, for realizada num trajeto de inusitado simbolismo para os apoiadores do presidente. O ato começou no estacionamento de uma loja da rede Havan, que é propriedade de Luciano Hang, um dos principais aliados de Bolsonaro no meio empresarial, mas terminou numa praça construída para homenagear uma célebre militante comunista do estado.

A dispersão do ato bolsonarista se deu no Memorial Maria Aragão, local batizado com o nome da médica que liderou o Partido Comunista Brasileiro (PCB) no Maranhão. O espaço conta com um museu em homenagem à ativista e foi projetado pelo arquiteto Oscar Niemeyer, outra personalidade histórica que se identificava com o comunismo.

A construção da Havan em São Luís foi alvo de uma disputa entre grupos favoráveis e contrários à instalação de uma réplica da Estátua da Liberdade no estacionamento da loja. Artistas e políticos de oposição a Bolsonaro afirmam que a estátua descaracteriza o centro histórico da cidade, localizado a 12 quilômetros do local e considerado patrimônio cultural mundial pela Unesco.

Do site Metropoles.com

Blog Noticiar – por Olavo Sampaio